Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

É Contar e Encantar

Com o que é que te apetece sonhar hoje?

É Contar e Encantar

Com o que é que te apetece sonhar hoje?

06/09/17

Que Tal uma Gota de Waldorf Nisso?

ACTO I

Cena 1

O PROFESSOR acaba de escrever a última fracção no quadro.

 

PROFESSOR

E é assim que se reduz uma fracção. Martim, estás a prestar atenção?

 

MARTIM encontra-se com a cabeça apoiada na mão. Parece bastante entediado. 

 

MARTIM

Sim, stôr.

 

PROFESSOR

Percebeste o que eu expliquei?

 

MARTIM

Sim, stôr.

 

PROFESSOR

Estás a usar cuecas de senhora?

 

MARTIM

Sim, s... hã, o quê?!

 

PROFESSOR

Se não aprenderes, não terás sucesso quando fores adulto. Ninguém gosta de trabalhadores preguiçosos, rapaz! Como castigo tens de dizer a tabuada do oito e ai de ti que te enganes!

 

MARTIM adopta uma postura muito tensa, endireitando o corpo ao falar depressa e como um robô. Em seguida, cai na mesa.

 

Cena 2

O PM (PAI DO MARTIM) entra na sala, cumprimenta o PROFESSOR e senta-se. 

 

PROFESSOR

Boa tarde, fico feliz por ter vindo. O seu filho está numa situação muito grave. Está sempre distraído, nunca aponta nada e adormece nas aulas. Estou preocupado com ele, pois sei que é muito inteligente. No entanto, ao não usar o seu potencial, obtém notas terrivelmente baixas. 

 

PM

Céus! Muito obrigado por me avisar! Vou falar com ele assim que chegar a casa. Ele vai melhorar, pode ter a certeza. 

 

PROFESSOR

Assim espero para o seu bem. É uma emergência. 

 

ACTO II

Cena 1

O PM entra no quarto do seu filho, o qual está a dormir com a cabeça em cima de um livro, e bate devagar na mesa para o acordar. Há material de estudo na mesa. 

 

MARTIM

Estou a estudar!

 

PM

Sim, nota-se. 

(Senta-se numa cadeira ao lado do rapaz)

Martim, o que é que se passa, filho? O teu professor disse que és tão bom aluno como o Einstein. 

 

MARTIM olha para o homem com uma expressão desesperada. 

 

MARTIM

Por favor, pai, tira-me dali! POR FAVOR! Imploro-te! Estou tão farto de fazer sempre a mesma coisa dia após dia . Estou cansadíssimo de ter de me lembrar de coisas que nunca usarei na vida, que não servem para o meu quotidiano. 

Que se dane a escola! Não é uma preparação para a vida, é uma prisão! Para que raio preciso eu de fracções?! Quero ser tudo menos matemático!

 

PM

Mas, Martim, não tens como fugir disso. Estudar dá-te conhecimento e torna-te numa mais pessoa mais inteligente. É a chave para o sucesso. Não vou permitir que sigas as minhas pegadas. Fui preguiçoso e olha no que deu. Estás proibido, ouviste?! Estás proibido!

 

MARTIM

Não! É o meu futuro e sou eu que faço as minhas próprias regras! Nunca mais vou estudar!

 

PM

Martim...! Estás de castigo!

 

MARTIM

Eu odeio a escola! 

(Depois de deitar os livros e os cadernos para o chão, sai do palco, mas volta de imediato)

Sabes que mais?! Eu odeio-te!

 

ACTO III

Cena 1

O PM está num café a beber cerveja e encontra-se visivelmente triste. Há cinco garrafas vazias na mesa. Um amigo seu chega.

 

AMIGO

Então, pá?! Isso é que foi beber! 

 

PM

O quê?! Oh, chiça! Então, pá, 'tá-se bem?

(Trocam um aperto de mão)

É a minha sexta cerveja. Porra! 

 

AMIGO

O que se passa? Normalmente, és tão cuidadoso com isso. 

 

PM

Discuti com o meu filho. As notas dele são terríveis. Estou preocupado com o futuro dele.

 

AMIGO

Porque é que isso acontece?

 

PM

Detesta estudar, aborrece-o de morte. Está desmotivado. 

 

AMIGO

Já procuraste uma alternativa?

 

PM

Qual alternativa? Não há outra maneira, ele tem de se esforçar para ser alguém na vida. 

 

AMIGO

Isso é o que tu pensas! Em relação à coisa da alternativa, claro. Enfim, porque não o inscreves numa escola Waldorf?

 

PM

Hã? Mas o que raio é isso?

 

AMIGO

É um método de ensino bastante fixe e completo. Para além do pensamento intelectual também oferece educação artística, física e espiritual. O objectivo principal é ajudar os alunos a encontrar o seu próprio caminho em vez de lhes encher a cabeça com coisas que acham desnecessárias. 

Quero dizer, eles recebem conhecimento geral até uma certa idade, mas depois escolhem uma área. E se não tiverem a certeza do que escolher, os professores ajudam-nos, respeitando o seu ritmo. 

 

PM

Parece-me óptimo! Vou pensar nisso... no método Rudolf...

 

AMIGO

Waldorf. 

 

PM

Exactamente! No método Waldorf. Muito obrigado! Adeus!

 

Os homens trocam um aperto de mão e saem do palco.

 

ACTO IV

Cena 1

MARTIM está na zona exterior da escola Waldorf.

 

MARTIM

Mas que diabo?! Estou numa escola ou numa quinta?

 

ACTO V

Cena 1

O rapaz aproxima-se da porta da sala de aula onde se encontra o P.E.W (PROFESSOR DA ESCOLA WALDORF). MARTIM mostra-se relutante ao entrar, o que capta a atenção do professor.

 

P.E.W

Então, não entras?

 

MARTIM entra e retira o material escolar ao passo que os demais se limitam a atentar no P.E.W.

 

MARTIM

Não há sumário?

 

O P.E.W solta uma gargalhada.

 

P.E.W

Calma, rapaz! Nem sequer nos conhecemos. Porque não nos falas de ti?

 

MARTIM

Bem... tenho onze anos, vivo nesta cidade...  e...

 

P.E.W

E o que é que gostas de fazer? Vai ser importante para iniciar o teu percurso nesta escola. 

 

MARTIM

Gosto de ver televisão, de sair com os meus amigos, ouvir música...

 

P.E.W

Ah, gostas de ouvir música... e tocas alguma coisa?

 

MARTIM

Toquei guitarra durante uns meses quando era mais novo, mas não me saí muito bem e acabei por me fartar.

 

P.E.W

Então, mostra lá o que vales. 

 

MARTIM

Porquê? Isso não tem grande utilidade e já tenho os dedos enferrujados, pois...

 

P.E.W

Toca lá!

 

MARTIM obedece, porém, entusiasma-se demasiado. 

 

P.E.W

Pronto, pronto! A guitarra não é uma boa opção. 

 

MARTIM

Eu avisei-o.

 

P.E.W

Experimenta cantar. Qualquer coisa de que te lembres, deixa a tua alma traduzir-se na voz. 

 

A voz de MARTIM é bastante desagradável, o que se reflecte nos rostos das outras personagens. 

 

P.E.W

Pronto, pronto! Pára, pára!

 

MARTIM

O que é? Não foi bom? Não gostou?

 

P.E.W

Quero dizer, podia ter sido melhor.

(O homem baixa o tom de voz)

Muito melhor.

 

MARTIM

O quê? 

 

P.E.W

Nada, estava só a pensar que podíamos apostar noutra coisa de que gostes... e consigas fazer. 

 

MARTIM

Gosto de desenhar, mas não sei se tenho talento. 

 

P.E.W

Tens aí alguma obra de arte que eu possa ver?

 

MARTIM

Sim, deixe-me verificar. 

 

Enquanto o rapaz procura, o P.E.W aproxima-se de uma pessoa do público para comentar o seu trabalho. Não percebe que MARTIM já está pronto.

 

P.E.W

Curto bué do que fizeste, mas o meu bigode é um bocadinho mais escuro. 

 

MARTIM

Ó, stôr, o que é que acha? Fi-lo na aula de Matemática. 

(O professor aproxima-se e agarra na folha)

Vou ter uma boa nota?

 

P.E.W

Gostas do que desenhaste?

 

MARTIM

Adoro-o. 

 

P.E.W

Então, aí tens a tua nota. Eu também o adoro, tens, de facto, imenso talento. Que tal investires nisso?

 

ACTO VI

Cena 1

MARTIM chega a casa aos pulos de entusiasmo. O PM está numa cadeira a beber cerveja. 

 

MARTIM

Pai, pai, tive um dia tão fixe! Eu pensava que a escola nova ia ser tão secante como a outra, mas enganei-me! É espectacular! Eu vou ser um desenhador! Mal posso esperar por amanhã!  

 

O rapaz sai do palco. O PM olha para a garrafa. 

 

PM

Chega de cerveja por hoje.

 

FIM!

 

Por: David Fernandes e Olavo Rodrigues.

 

Artigo sobre a pedagogia Waldorf aqui

 

 

2 comentários

tagarela mais

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arca

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por correio electrónico

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.